CiMTB participa de reuniões em Londres visando estreia de Araxá na UCI MTB World Series

Membros da organização araxaense estiveram reunidos na capital da Inglaterra com representantes da Warner Bros. Discovery (WBD) Sports Europe e os demais organizadores mundiais

O mês de janeiro foi de bastante trabalho para a equipe da CiMTB, responsável pela organização local da estreia da etapa de Araxá no calendário da UCI Mountain Bike World Series. Enquanto no local do evento, o Complexo do Barreiro, aconteceu mais uma visita técnica de membros da WBD Sports, em Londres, na Inglaterra, foram realizados dois dias de importantes reuniões com a cúpula da organização internacional, recebendo os membros dos países que receberão as 16 etapas de 2024 do evento. Representando a delegação de Araxá estiveram Rogério Bernardes, Nina Ferreira e Gustavo Coelho.


Rogério Bernardes, Nina Ferreira e Gustavo Coelho (Crédito:Ellie Brightmore)

O primeiro dia do evento, em um hotel na região oeste de Londres, contou com diversas palestras apresentadas por representantes gerais da organização mundial, com temas como esporte, evento, produção de tv, parcerias, marketing e comunicação. Já no segundo, foi vez dos organizadores locais de cada uma das etapas de 2024 conhecerem a sede da Warner Bros. Discovery e sentarem-se em reuniões com aqueles que no dia anterior haviam se apresentado falando sobre suas áreas específicas.

O evento foi aberto pelo hoje vice-presidente de eventos de ciclismo da WBD Sports, Chris Ball, ex-atleta de downhill no começo dos anos 2000, fundador de eventos como Enduro World Series, Enduro World Series-E e Trophy of Nations e outros grandes eventos internacionais de mountain bike.

“Como falei na minha apresentação aqui no primeiro dia do encontro, quem faz o evento são as pessoas. A comunidade do ciclismo é muito ligada e apaixonada. Acho que colocar todos juntos em uma sala é uma maneira muito especial de conectar essa energia. Compartilhando muito conhecimento, muita cultura, muitas maneiras diferentes de fazer as coisas. Temos locais com 33 anos organizando a Copa do Mundo, como Mont-Sainte-Anne, locais com em torno de 15 anos como Nove Mesto, Val di Sole, Leogang, e alguns eventos totalmente novos no Brasil, EUA, Suíça, então temos essa combinação incrível de enormes experiência e novos pensamentos, ideias e criatividade”, destacou Chris Ball.

As primeiras lembranças que Chris Ball tem do Brasil remontam ao início de 2000, quando ele participou da Copa do Mundo de Downhill, em Balneário Camboriú (SC). “Jamais esquecerei a energia e a atmosfera daquele evento. E acho que isso é o que mais nos emociona, é saber que o Brasil tem uma comunidade ciclista enorme. Uma enorme unidade de mountain bike. Só ouvi coisas incríveis sobre Petrópolis quando aconteceu a Copa do Mundo, no último ano de 2022. E espero que possamos ter o Brasil novamente na UCI Mountain Bike World Series não uma vez, mas duas. Acho que as duas semanas que teremos no Brasil serão fantásticas. Os fãs estão realmente ansiosos para interagir tanto com o público brasileiro”, disse Ball.


Chris Ball durante sua apresentação no primeiro dia de evento (Crédito: Ellie Brightmore)

Chris Ball falou ainda sobre o que espera da etapa de Araxá, marcada para os dias 18 a 21 de abril, e sobre o que espera da duração do projeto na cidade que há 21 anos recebe a principal competição de mountain bike da América Latina, a Copa Internacional de MTB.

“Acho que teremos uma corrida de bicicleta incrível em Araxá, um ambiente incrível, e eu pessoalmente mal posso esperar para visitar e conhecer todos os fãs pelas coisas amorosas e incríveis que ouvi dizer que a torcida brasileira tem. Vamos ver como corre abril. Temos um ano gigante para o esporte com as Olimpíadas de Paris, com o formato mountain bike cross country. Vamos ver como será em abril e aí acho que precisaremos ver como o Brasil pode se sentir no calendário no longo prazo. Este não é um projeto de curto prazo. Para nós é um prazo muito longo. Tudo o que estamos fazendo agora aponta para o caminho do crescimento do mountain bike em todo o mundo. A comunidade sul-americana, latino-americana e brasileira é uma parte fundamental disso”, finalizou Ball.

Bastante conhecido dos ciclistas brasileiros, Simon Burney esteve na reunião durante os dois dias, para tratar especificamente de sua área: esporte. Simon já esteve em Araxá duas vezes num passado recente. A primeira em abril de 2023, durante a 20ª edição da CiMTB no município mineiro, e alguns meses depois, no começo de outubro, para uma visita técnica na área do Grande Hotel Termas de Araxá. Uma semana depois de sua visita em outubro, Araxá foi oficialmente anunciada como etapa de 2024.

“Araxá é uma nova sede da UCI Mountain Bike World Series. Tive a sorte de ir lá duas vezes. Então, eu também vi corridas lá, o que ajuda muito a entender tudo. O percurso, quaisquer mudanças que precisássemos fazer para torná-lo um percurso realmente bom para a Copa do Mundo. Para ver para onde vão os espectadores. Onde a televisão poderia estar. Onde os times podem estar para a Copa do Mundo. Isso é realmente útil. Acho que é um ótimo local. Temos uma boa oportunidade de fazer uma UCI Mountain Bike World Series de muito sucesso lá. Acho que a diferença entre Araxá 2024 e Petrópolis 2022, quando estivemos lá com Rogério Bernardes antes, é a escala do evento. Seguimos em frente com o novo envolvimento da WBD Sports. Teremos muito mais gente no local, teremos uma produção televisiva maior em Araxá do que tivemos em Petrópolis. Então eu acho que para mim é igual, mas maior. Todo mundo precisa estar ciente disso. Mais pessoas. Mais profissional. Esperamos por mais espectadores e esperamos que todos os pilotos estejam lá”, comentou Simon Burney, que aproveitou para analisar o que espera das corridas da Copa do Mundo em Araxá em abril.


Simon Burney, de camisa branca, acompanha palestra (Crédito: Ellie Brightmore)

“Acho Araxá um local incrível, e isso produzirá uma corrida realmente emocionante. Para mim é um percurso que os pilotos permanecerão juntos. Então acho que as últimas voltas serão muito emocionantes, o que é ótimo. É uma visão realmente emocionante para os espectadores e para a televisão. Acho que Araxá tem algumas partes bem técnicas no curso. Mas penso que o percurso é tão rápido que a velocidade dos pilotos nessas sessões técnicas fará uma grande diferença. Fisicamente já é difícil o suficiente. Mas acho que é uma corrida realmente perfeita para o início da temporada. Talvez não seja super técnico, nem super físico, mas é apenas o suficiente para a segunda corrida do ano, quando os pilotos entram na temporada. Então eu acho que é perfeito. O lugar perfeito para começar”, analisou Burney.

O encontro em Londres também foi importante para se aproximar de diversos profissionais-chave na cúpula da WBD Sports. Entre eles um destaque para Simon Lillistone, diretor-geral de evento dentro da área de ciclismo da empresa. “É fantástico nos reunirmos com todos os organizadores aqui em Londres e mostrar a eles o que acontece com o programa de TV depois do evento, tivemos ótimas tours, às salas de controle e o onde é feito o controle dos programas WBD. Mas além disso compartilhamos muitas informações e como queremos abordar a temporada. Construindo relacionamentos com os organizadores e nossa grande equipe. Conhecer as pessoas que visitam o local é fundamental para termos sucesso. Portanto, estes foram, provavelmente, dois dos dias mais importantes da temporada, em preparação para os 16 eventos que teremos este ano na UCI Mountain Bike World Series”, contou Lillistone.

“Felizmente, o Rogério e a Nina vieram a Les Gets no verão passado e tivemos a oportunidade de lhes mostrar um dos maiores eventos do ano. Então, espero que tenha sido realmente útil. Ter a Equipe Araxá aqui para construir um relacionamento, como falei, é muito importante. Penso que o desafio de ir para o Brasil, para nós está no fato de viajarmos muito longe da nossa base europeia. Portanto, temos uma logística para trabalhar, provavelmente diferentes fornecedores que precisamos trazer para o projeto. Mas, trata-se de coordenação de informações. Nossa equipe de gestão está trabalhando junto à sua equipe em Araxá para garantir que tudo esteja no lugar e então estaremos prontos. O que sei é que o Brasil tem uma boa torcida e acho que esperamos um grande público. Enorme paixão e energia pelo esporte. Mas isso também significa que precisamos estar preparados com os detalhes, para ter certeza de que entendemos como fazer para que essas pessoas tenham uma experiência que seja a mais incrível possível”, concluiu Lillistone.

Após a realização do evento na capital inglesa, Rogério Bernardes fez seu balanço acerca da realização dos encontros na Europa:

“Foi muito importante ter essa troca de informações que tivemos durante as reuniões em Londres, com os organizadores das demais etapas e com os membros da WBD Sports que estiveram presente. Se pensarmos, em relação a 2022 em Petrópolis, é um outro evento, completamente diferente. Muito mais focado na experiência, na transmissão, na interatividade da competição com o público. Quem for a Araxá, com certeza terá uma dimensão diferente. Programação mais diferenciada. Enfim, será um momento histórico e inesquecível pra quem ama o ciclismo e o esporte como um todo”, disse Rogério Bernardes, organizador local de Araxá e da CiMTB.


Rogério Bernardes e Simon Lillistone em Les Gets (Crédito: Divulgação)

Venda de ingressos abertas
Desde o início de novembro os ingressos para a Copa do Mundo UCI de Mountain Bike em Araxá estão à venda. O passaporte que for adquirido, pessoal e intransferível, pode ser de 1 a 4 dias e os valores variam entre R$ 150 (1 dia) a R$ 300 (4 dias), mais o valor da taxa de conveniência (10%), e terá mudança de lote no próximo dia 10 de fevereiro. Para fazer a compra, basta acessar: https://www.ticketsports.com.br/e/uci-mountain-bike-world-series-arax-37338.

Enquanto estudantes e idosos (pessoas acima de 60 anos) terão 50% de desconto na compra dos passaportes, a organização preparou um desconto super especial de 80%, para os moradores da cidade-sede, Araxá (MG). Crianças, de até 9 anos, não pagam entrada, ou seja, garantindo assim 100% de desconto, porém também devendo fazer o cadastro no sistema de venda de ingressos.

Organização local de Araxá
A organização da CiMTB realizou sua primeira prova em 1996. Desde então, vem inovando e contribuindo ativamente para o crescimento e fortalecimento do mountain bike e o mercado de bicicletas no Brasil. Contando pontos para o ranking mundial da União Ciclística Internacional (UCI) desde 2003, a CIMTB tem sido seletiva para os Jogos Olímpicos desde os ciclos de Pequim 2008, Londres 2012, Rio 2016, Tóquio 2020 e agora para a disputa de Paris 2024.

Em 2022, a CiMTB aumentou ainda mais sua relevância internacional, com a realização da etapa de abertura da Copa do Mundo Mercedes-Benz de Mountain Bike 2022, em Petrópolis (RJ). Além disso, foi responsável pela construção da pista de mountain bike dos Jogos Olímpicos Rio 2016, considerada uma das melhores da história dos Jogos desde 1996, primeiro ano do MTB em Olimpíadas.

Mais informações sobre a CiMTB:
Site: https://www.cimtb.com.br
Instagram: http://www.instagram.com/cimtb
Facebook: http://www.facebook.com/cimtb/
Twitter: http://www.twitter.com/cimtb_oficial

Assessoria de Imprensa
Gustavo Coelho
press@cimtb.com.br